Tuesday, August 21, 2007

Telhado de Vidro


Hoje eu vou escrever sobre um tema polemico.
Eu quero escrever e declarar meu amor ao ato de fumar.
Peco licenca aos moralistas, aos medicos, aos pesquisadores e aos cientistas. Peco licenca as religioes e aos religiosos, peco licenca tambem a minha mae, que provavelmente vai ler isto e vai ficar de cabeca quente.

Mas eu preciso dizer que nao aguento mais ouvir daqui e dali que cigarro eh um veneno.

Eu nao acredito nisso, nao imagino isso e nao fumo pensando nisso. E adoraria que os outros fumantes pudessem tambem se sentir livres assim.
Nao dou a minima para as 3 mil e tantas substancias que eles dizem estar dentro do papelzinho branco.

Eu adoro fumar. Ver a fumaca formando pequenos desenhos no ar e aquele relaxamento gostoso que vem depois de um trago. Mas nao recomendo a ninguem comecar, soh porque fumante sofre demais com a chateacao dos nao-fumantes.

Fico mesmo triste com as constantes criacoes alheias que querem destruir os pequenos prazeres da vida e se baseiam em"pesquisas" feitas por especialistas americanos, canadenses ou marcianos.


Eu fico imaginando aqueles indios amercanos e seus xamas no passado oferecendo um cachimbo da paz para um visitante que acabou de chegar na aldeia. Sem filtro, claro. Sera que eles fumavam o cachimbo preocupados com a cor que o pulmao deles ia ficar no futuro? Duvido muito. Aqueles caras eram sabios o suficiente para saber que este corpo eh soh uma casa temporaria e que cada um pode fazer a festa dentro da sua propria casa sem remorso ou sentimento de culpa.

Claro que milhares de pessoas morrem todos os anos de cancer (meu avo teve que ouvir este diagnostico antes de morrer). As igrejas, os seguros de saude e a midia em geral se encarregam de fazer qualquer fumante se sentir um futuro "canceroso ou tuberculoso", no minimo.

Eu leio jornais, pesquisas e livros que nao cansam de citar esta relacao entre cigarro e diversas molestias. E as provas (hahahahaha) sao tao inquestionaveis que ninguem em sa consciencia resolve atacar este "verdade". Mas como "sa" nunca foi um adjetivo muito criativo, eu resolvi tomar a frente desta briga. Em prol da liberdade.



Hoje eu fumo poucos cigarros por dia. Teve uma epoca que quase cheguei a dois macos, e aquilo sim provavelmente iria me levar para o hospital no futuro. Nao pelas 3 mil substancias prejudiciais, mas pela minha falta de carinho e amor comigo e com as coisas que eu realmente queria. E fumar sem prestar a atencao no cigarro era soh um reflexo disso.

Mas nos ultimos anos eu mudei. Nao fumo mais por medo, nervosismo, stress, ansiedade (ok, de vez em quando acontece). Nao fumo se estou fazendo outra coisa. Nao fumo andando, ou dentro de carros.

Hoje soh fumo quando posso me sentar calmamente e apreciar o cigarro do comeco ao fim. E por estar fumando assim, por amor ao que eu tenho vontade de fazer, e nao porque sou uma rebelde ou porque tenho raiva do mundo, eu acredito de verdade que meus cigarros nao me fazem mau.

Meus pulmoes sabem expelir o que nao presta para eles, assim como minha pele, minha corrente sanguinea e minha mente. Meu corpo eh uma maquina perfeita e nao tem cigarro que vai alterar isso. Podem examinar meu corpo depois que eu me for, se eh que eu vou para algum lugar.



E para os que leram ate aqui e acham que eu devo estar ficando maluca, minhas desculpas.
Eu acredito em saude, nao em doenca.
E fumar ou nao fumar nao tem nada a ver com isso.
Muito amor,
Ju

2 Comments:

Anonymous Ricardo said...

Delícia um cigarrinho. ô coisa boa.

10:02 PM  
Blogger Fabi said...

mas eu parei de fumar h� um anoe meio( e ce lembra bem que meu marlboro vermelho era meu companheir�o), e hoje fumo de vez em nunca, dois tragos no marlboro (sim,�soh marlboro) de algu�m qdo tomo uma cerveja e soh se me dah uma vontade louca, e te juro que n�o me arrependo.
Vale a pena....Ter f�lego �bem mais prazeiroso que fumar...

3:18 PM  

Post a Comment

<< Home

online blackjack
free counters