Sunday, August 26, 2007

O PRECO DE SER "BACANA"

Vamos la.
Recebi varios emails sobre meu ultimo post, o que nao foi uma grande surpresa. Sabia que estava mexendo em caixa de marimbondo, e eu gosto.
Mas num deles uma amiga me disse que eu estava fazendo "apologia a nicotina". Entao vou ter que escrever mais.

Nao pessoas..nao estou fazendo apologia a nicotina nem a nenhum outro tipo de droga.

Estou fazendo apologia a LIBERDADE e tenho o maior prazer nisso.
Liberdade de fumar e de beber,
de ser magro ou gordo,
de ser bem sucedido ou de nao saber se vai ter dinheiro para almocar amanha.
de casar e descasar, de trair, de perdoar.

Liberdade para rir das nossas pisadas na bola.
Liberdade de fazer diferente do normal, de arriscar.
Liberdade para correr riscos, sejam eles qual forem.

Nossa geracao e muitas que vieram antes foram condenadas ao que chamo de "prisao domiciliar cerebral". Nos ensinaram de um jeito, nos deram dados, formulas e regras.

E nos acreditamos, aceitamos, concordamos e engulimos.
Para ter dinheiro, trabalho.Para ter futuro, emprego. Para envelhecer tranquilo, casamento. Para emagrecer, regime. Ai,ai,ai...

Eu sou uma guerreira em prol da liberdade.
Apesar de viver carregando a bandeira do AMOR por onde passo, nao posso negar que o amor as vezes nos custa ateh mesmo a liberdade. Entao como conciliar?

Por medo de nao ser amados, queridos, aceitos, aprovados, contratados, convidados, por medo de que falem mal nas nossas costas, vendemos nossa liberdade muito, muito barato.

Deixamos de arriscar, de dizer o que pensamos, de desafiar, de contradizer.
Ou se fazemos, depois nos matamos de culpa certos de que os julgamentos virao de todos os lados.
Cada dia estamos menos impulsivos, menos expontaneos, menos a gente.

3 anos atras quando eu, por razoes que nunca descrevi aqui nem pretendo, larguei um emprego seguro e promissor no meio da tarde e nunca mais voltei, assinei um contrato que permitia a todos que me conheciam a ter suas proprias versoes da minha historia. E como foram engracadas as que eu ouvi: de viciada em heroina (nem nunca vi heroina na vida) ateh adepta de seita demoniaca. Teve de tudo, criatividade nao faltou a todos que me conheciam, mas principalmente, aqueles que nao sabiam nada de mim.
Por amor a minha pessoa e a minha liberdade eu pulei do abismo muitas vezes e nunca me espatifei. Mas o preco que pago eh nao ser querida e nem admirada por todos. E dai? Quem eh que eh?

Entao meus amigos, que fique claro, porque como redatora eh importante deixar o texto claro, minha mensagem no ultimo post e neste tambem eh:

O bom da vida eh fazer o que se tem vontade,
e estar preparado para quando os outros fizerem o mesmo.

Por isso, viva a sua vida do jeito que voce quiser. Assim fica muito mais facil aceitar o que os outros andam fazendo com a vida deles.

E no mais, quando todos viram as costas por que vc fez alguma merda eh porque voce nunca teve ninguem. Em compensacao, quem fica do seu lado nestas horas, sao os que voce deve convidar pro seu proximo aniversario.

Um beijo bem querido em todas as bochechas leitoras.

5 Comments:

Anonymous Ricardo said...

Ser bacana custa caro pra cacete. Mentes pequenas não têm a menor condição de sentir a enormidade da liberdade.é uma impossibilidade. Hahahaha
Crianças do mundo seguro, a vida é muita curta pra viver o sonho dos outros. Parem de sobreviver e comecem a viver. É tão bom aqui fora.

10:00 PM  
Anonymous dedeh said...

nossa, delícia de texto. tem um cigarro aí?

6:49 AM  
Blogger Gus Bozzetti said...

Se tu tivesses entrado para uma seita demoníaca e não me convidasse, eu estaria bem puto da cara contigo. Vou te mandar um e-mail depois para falar mais sobre liberdade.

9:46 AM  
Blogger Fabi said...

por isso que eu adoro vc...e sinto tanto sua falta aqui....
beijos

3:21 PM  
Anonymous Anonymous said...

Caguei para sua liberdade. Quero mais que você viva muito e muitos anos comigo por perto, então larga essa merda de cigarro para não correr o risco de estragar sua saúde.

Ass.Papai Urso.

7:24 PM  

Post a Comment

<< Home

online blackjack
free counters