Thursday, August 03, 2006

O Tribunal e a Festa

Oi amigos,
hoje eu vou comecar escrevendo uma confissao.
Preciso dizer que, apesar de toda a minha falta de tempo para escrever, este nao eh o unico motivo da escassez de textos neste blog. A verdade eh que eu estou um pouco magoada com as palavras. Logo elas, que sempre foram minhas grandes amigas. Minha magoa eh por achar que as danadas podem ser perigosas, porque ao inves de comunicarem e propagarem uma ideia -sua funcao original - elas acabam limitando .Tenho receio que quem le os meus textos, se prenda mais as palavras que a minha intencao ao escreve-las. Mas como de "covarde" eu soh tenho pequenas crises, estou aqui para quebrar mais essa. E chega de bobagem, porque o que eu quero dizer hoje eh mais importante que isso, e quem quiser julgar errado o que vou dizer, seja bem vindo tambem.

Alias, julgamento eh o meu tema do momento. Porque estou farta dele. Estou farta de julgar. De ser julgada sempre estive, mas isso nao eh novidade para mim, nem deve ser para voce tambem. De julgamento todo mundo foge, seja no tribunal, na festa ou no almoco de domingo com a familia. Mas o que eu Juliana, mais tenho evitado eh o "julgar", porque julgar eh tao facil, que se voce pensar um pouco vai descobrir que faz isso inconscientemente praticamente o tempo todo.

Eh o chefe que tah irritado, a mae que tah dramatizando, a perna com celulite, a camisa fora de moda, o colega que "se acha", aquela vagabunda, o monstro da Suzane que matou os pais, os loucos do Herzbollah, a crueldade de Israel, e por ai vai.

Emitir opinioes eh tao normal (e exigido na sociedade que a gente vive) que a gente acaba esquecendo que uma opiniao pode ser muito parecida com um julgamento. Se eu acho que aquela figura anda mal-vestida isso significa que se eu tivesse "o poder" eu iria manda-la trocar de roupa. Assim como o juri da Suzane tem "o poder" de manda-la para a cadeia. Muito cuidado nesta hora.

Eh tao facil esquecer que cada pessoa eh um mundo de escolhas e que ninguem eh vitima de nada. Que cada um estah exatamente onde gostaria de estar. Porque se fosse diferente estaria em outro lugar. Ateh quem estah sendo estuprado tem a opcao de morrer. Se optou pelo estupro, eh uma escolha (Ok, nao eh das melhores mas ainda assim eh uma escolha).

Sabe o que eh melhor quando voce pensa sobre o assunto? Quando voce pensa em parar de julgar? Eh a imensa sensacao de liberdade e sossego que vem depois. Se voce nao julga, (nao da boca para fora, mas de coracao, o que eh MUITO mais dificil) voce se sente bem. Sente mais humano, mais bacana. Se voce aceita o feio, o perdedor, o assassino, o ladrao, o bonito, o vencedor, o agressivo, o medroso, o covarde e ateh o "julgador", se voce olha para eles como um simples observador e entende que eles sao tao humanos quanto voce, apenas com uma historia diferente, voce pode ateh dar uma risada por dentro, e achar graca de coisas "absurdas", "violentas", "crueis" e de seguir seu caminho sem se preocupar muito.
A menos que voce possa fazer alguma coisa para melhorar a situacao, ai eh diferente. Quem dera que todo mundo que estah dando opniao sobre a guerra entre Israel e o Libano pudesse fazer alguma coisa. Eu ia adorar.

Quando a gente passa a vida na frente da TV, dos jornais, ou olhando para quem estah de fora, a gente esquece quem estah dentro. Quando a gente condena os terroristas e esquece que eles sao gente sem amor e com raiva, a gente esquece que tambem pode ser um terrorista. Porque se voce esta com muita raiva e sozinho, sem amor, e alguem bate no seu carro voce pode fazer coisas bem estupidas tambem. Nao digo matar, porque a nossa cultura eh diferente demais da deles para que a gente possa matar tao facil, mas quem de nos nao faria "loucuras" para salvar a propria mae?

Procurar defeitos nos outros, classificar as pessoas disto ou daquilo, colocar todo mundo em categorias, eh uma atitude que todos nos temos, o tempo todo. Mas eu estou fazendo um exercicio tremendo para mudar isso. Porque quanto mais eu penso, menos eu quero ser assim.
Nao quero julgar quem julga, mas posso escolher ser diferente.

Fico pensando que todas as vezes que se dah uma festa , se pensa em convidar nossos amigos de todos os lados, para ter muita gente diferente, para festa ficar divertida, colorida, para acontecerem situacoes inusitadas e todo mundo se divertir. Imagine se todo mundo fosse igual, perfeitinho, que saco que seriam as festas. Ninguem dando vexame, ninguem dancando loucamente na pista, nenhum casal novo, tudo igual, sempre. Deus me livre.

Acho que Deus pensou nisso quando fez a gente. Pensou no mundo como uma grande festa, cheia de gente diferente. E nao num happy hour de reparticao publica.Por isso meus amigos, tah feito o convite.
Vamos colaborar com a campanha: "Mais FESTAS, menos JULGAMENTOS".
(quem quiser fazer o lay-out da marca do slogan acima, coloco no blog imediatamente!)


(eu a girafa ao fundo, quem eh mais comprida?)
Um beijao para todos.
E muito, muito obrigado por todos os emails que nao paro de receber.

3 Comments:

Anonymous Denise said...

fabuloso o seu texto. fabulosa a coragem d colocar pra fora idéias tão cruas e tão simples q se tornam incapazes de serem absorvidas por qq pessoa. sem dúvida vão te inperpretar mal, mas o q interessa são exatamente as pessoas q conseguem absorver e principalmente, trazer para a prática tudo q vc falou aí. é como a bíblia, o alcorão, etc. São textos tão simples e puros q a maioria das pessoas contorcem os textos de acordo com seus interesses. amei qdo vc falou q se alguém nao gosta da sua roupa eh pq se tivesse "poder" mandava vc se trocar. olha como o julgamento eh perigoso...
jah aderi ao seu movimento! mais festas e menos julgamento! eh isso aí ju.
mtas saudades suas viu?? e a propósito, a girafa eh mais comprida...rsrsrs
beijos

2:37 PM  
Anonymous Danielly Azulay said...

Adorei o que vc escreveu, na verdade vi em palavras formuladas um exercicio que tenho feito ao longo do tempo.. e de vez em quando me pego outra vez, julgando dai quando paro e penso ou quando sou julgada.. ufh,,sigo tentando.. na verdade nao e facil mas e bom saber que nao se navega sozinha..
Abracos e boa sorte em Israel..

2:08 PM  
Anonymous Cristina Cortez said...

Duas coisas:

1. Fiquei aliviada ao ler o texto. Porque, na maioria das vezes, eu tenho uma dificuldade enorme de ter opinião sobre as coisas.

2. Mesmo assim, terminei o texto julgando você. Você é hippie, cara.

9:23 PM  

Post a Comment

<< Home

online blackjack
free counters